Home

Sobre a entrevista do Silas Malafaia à Marília Gabriela

fevereiro 5, 2013

De ontem para hoje recebi mais de uma dezena de pedidos de comentários sobre a entrevista que o Silas Malafaia deu a Marilia Gabriela. Pois bem.

Assisti e terminei triste. Não exatamente porque um louco fundamentalista vocifera oportunamente o que sua tribo quer ouvir, o que lhe rende visibilidade, o que estimula pessoinhas, muitas vezes bem intencionadas, a lhe aplaudir de pé. Tipos assim existem e sempre existirão, apesar de serem poucos com esse grau de verborragia maquiavélica e energia manipuladora.

O que me entristece é notar que chegamos em um estágio de profundo nanismo mental, espiritual, filosófico e humano, suficiente para que um tipo como Silas Malafaia seja considerado porta voz da mensagem de Cristo, ainda que nela não haja nenhum traço do essencial que Ele pregou: amor.

A subversividade de Silas é populista, o amor interesseiro, a simplicidade extremamente arrogante, os argumentos capciosos, maliciosos, rasos demais para quem não se contenta em apenas molhar os pés. É triste ver que sua voz encontra eco em muitos corações, afinal, ele não diz o que diz porque pensa que é.

Na minha opinião suas motivações estão ligadas única e exclusivamente ao que pode colher de vantagens, ao cabedal político que os “améns” podem lhe render, no fluxo do ódio que rouba o bom senso, escraviza e incute culpa em gente que na verdade precisa de amor. Admirar um homem assim só revela o tamanho da doença de muitos e a falta de entendimento do mais essencial: não há nada que se aproveite sem amor. Dedo em riste, ironia, ódio chamado de amor, está longe de ser exemplo e, de gente assim, prefiro distância. Esta é minha opinião.

About these ads

15 Responses to “Sobre a entrevista do Silas Malafaia à Marília Gabriela”

  1. leandro Says:

    Assisti uma boa parte da entrevista de Silas, do meio para o final, e peguei a parte que Gabi o questiona sobre a criação de crinças por casais homossexuais, o salário dos pastores.
    Discordo um pouco dos críticos. Acho Silas sincero na maior parte das vezes: ele coloca o papel dos pais: mãe e pai como prinicipais na educação e questiona talvez as consequências disso – acho que está certo.
    Ele afirma em discordar 100% mas respeitar e cita como exemplo a mãe de assassinos e presos – está correto, às vezes você discorda plenamente de alguém sendo errado, porém voce o ampara e aponta os erros.
    Ele admite as 70 – 120 igrejas que tem e que paga bem mais que 3mil reais chegando a 40mil, e cita como exemplo grandes jornalistas pois grandes pastores tem poder de eloquencia e explanacação da palavra – ele admite pagar mais pois há melhores pastores na visão dele. Ao menos foi sincero.
    Ao falar da política admite que não entraria mas não é alheio – é a posição correta pois não é a política instrumento de mudança mas o evangelho.
    No final admiite ser truculento, falar alto e defender suas convicções.
    Assisto ao Silas na TV e na maioira das vezes quando ele pede dinheiro, vende produtos ele sempre menciona para expandir a igreja – é o correto.
    Gosto dele, acho ele o “menos mentiroso” e menos “articuloso”, pois ele é duro na condução dos comportamentos mesmo pregando diante da pláteia.
    Não acho sua entrevista uma condençaõ de comportamento dele, aliás Maria Gabriela em suas entrevistas é muito “atrevida”, “íntima” e “entrona” em posições pessoais e até intimas. Ela, desculpe, parece ser muito menos evangélica que o próprio Silas.

  2. Charles Says:

    Prezado Flávio Sirqueira, embora respeite o seu comentário, discordo de seus pre-julgamentos. Questionar condutas, comportamentos ou argumentos não significa utilizar ofensas pessoais a fim de defender uma opinião, que é muito diferente da contundência ou veemência empregada pelo Malafaia.

  3. Merson Souza Says:

    Isso é apenas um simples de comentário de alguém que discreve sobre uma pessoa em sim, e que não conhece á Deus.

  4. maria márcia Says:

    As respostas do SILAS foram coerentes com a bíblia, foi ótima a entrevista, pena que a MARIA GABRIELA não estava a altura de conhecimentos para conduzir melhor as perguntas, sem argumentos ela ficou nervosa e se perdeu… mas DEUS honrou SILAS mais uma vez…


  5. Flavinho… expressar a opinião própria relacionada com um homem de deus, é quase crime moral, temos que ter o conhecimento biblico e humildade a divindade do “representado” e a sua prole, que esta na linha de traz, na defensiva do ódio inconciente disfarçado de amor.

    Lembro da minha vida cristã, quando estudava em seminario teologia, frequentava estudos biblicos, etc… a minha maior crise era a tomada de decisões proprias, ja que a mesmas tinham que estar baseada biblicamente, para ser uma pessoa politacemente correta… santa, incluida.

    Esta penúmbra é onde gente boa vive e que as vezes quer viver… os evangelicos tem o líder que merecem! E os que despertam tem que passar a prova de resistir ao descaso, e o olhar critico de pena, porque veem voce como perdido e desigrejado…

    Eu queria que no lugar da Gabriela estivesse Jesus… seguramente pode-se imaginar o dialogo…

  6. flaviosiqueira Says:

    Obrigado Marcelo ! Fiquei feliz em ler seu comentário. Abração meu amigo.

  7. Stela Says:

    Concordo com Marcelo Paiva……

  8. Alexandre Altmeiacin Says:

    Concordo (2) Marcelo e Flávio!

  9. Leobueno Says:

    Acho que em alguns momentos o Pr. Silas entrou em áreas que ele não domina e perdeu a razão. E quando o fundamentalismo é baseado na biblia certamente é defendida pela fé que ninguem pode contestar. Minha maior critica é a respeito do imperativismo através do alto tom vocal certamente nas igrejas isso passa a ser verdade absoluta. Algumas fontes nem sei se fidedignas direcionam o Pr. a maçonaria o que vai contra a ideologia dos cristãos.


  10. Flávio, coaduno com suas palavras. Ao ler sua opinião e os comentários (os contrários, claro), veio à mente trecho de uma entrevista dada pelo queridíssimo ex-Ministro do STF, Carlos Ayres Brito, transcrevo:

    “Mas não há vácuo na natureza. O que acontece? O vácuo vai ser preenchido pelo universo, pelo Cosmos, pela existência, outros preferem dizer por Deus. Expulse de si o ego que o espaço deixado por ele vai ser instantaneamente ocupado pela existência. Aí você dialoga com a existência, isso é elementar. Aí você tem um vislumbre do eterno, do definitivo, mais clarividente, você abre os poros da lógica, do seu cartesianismo, você vê o direito por um prisma novo.

    Agora, você paga um preço por isso. Qual é? Quando vê as coisas por um prisma totalmente novo, a sociedade não tem parâmetro para avaliar seu prisma diante do inédito para ela. Você é um antecipado, viu antes dela. O que ela faz, lhe desanca, lhe derruba, se não ela vai se sentir menor, inferiorizada, aturdida. O que ela faz, ela lhe desanca, você está errado, ou então você não é um cientista, você é um mistificador.

    A sociedade não tem parâmetro para analisar os antecipados no tempo. Veja a lógica das coisas, o tempo só pode se guiar por quem anda adiante dele. São os espiritualistas, os artistas, porque eles não têm preconceitos, pré-interpretações, pré-compreensões.”

    Essa nova era de liberadade de expressão e, mais de liberdade de mente, alma e coração, traz certo desconforto aos acomodados, que preferem ver o mundo como lhe teceram, não como é: diverso, e bonito, também por isso.

    Um abraço.

  11. flaviosiqueira Says:

    Que maravilha de comentário, Kamila ! Muito obrigado. Cresçamos juntos !

  12. flaviosiqueira Says:

    Alias, Kamila gostei tanto de sua mensagem que, espero que não se importe, compartilhei no facebook e a destacarei aqui no blog.


  13. Gostei demais do que você colocou. Achei a entrevista uma guerra, que se transformou num debate.E deus não admite que as pessoas debatam sobre Ele, nem a sua obra, nem o que lhe concerne(Tt. 3:8-9).
    Ele, o próprio Deus, é o representante do seu povo.
    Estar de frente com Gabi, João, Joaquim, Geraldo e José é fácil. Porém, um dia todos nós estaremos de frente com Deus. E aí?
    Infelizmente, existem dois tipos de Igreja: A verdadeira e a falsa (que se abastece do reino deste mundo).
    Eu continuo e prefiro o arroz com feijão da Igreja verdadeira, que se abastece da esperança da vinda de Cristo.
    O Evangelho da paz (Ef. 6:15) é que precisa ser levado e vivido, não guerra. E evangelho é uma questão de amor ao Senhor, e segui-lo é uma questão de escolha. Mas que sejamos verdadeiros.
    Que Deus continue lhe abençoando com a sua verdade absoluta em sua vida.
    Parabéns!

  14. suzi Says:

    Hoje aos 32 anos eu pude enxergar que Deus não é o Deus da bíblia que representa o Deus do medo, o Deus verdadeiro é o Deus do amor, que representa o amor.

  15. flaviosiqueira Says:

    Deus é amor


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.038 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: