Para que o fim de semana seja bom!

Ja sente o cheiro do fim de semana ?

Quando ele chegar, procure descansar. Não leve problemas para casa, relaxe, leia coisas boas, veja o que faz bem, procure a companhia de quem ama, coma o que tiver vontade; seja feliz!

Se tiver que trabalhar, não torne isso um fardo, pelo contrário, valorize o fato de ser produtivo e coloque empenho no que faz.

Cuide para que, quando a segunda feira chegar, tudo tenha corrido bem.

Bom fim de semana !

A ditadura das minorias.

Já escrevi aqui sobre preconceito.

É um típo de vírus letal que, aos poucos, mina a sensibilidade e simples percepção de que o outro é igual.

Cor da pele, opção sexual, tipo fisico, raça, religião, opção política…não mudam o fato de que somos humanos e devemos nos tratar com respeito.

Acontece que, ao invés de perceber nos movimentos de minoria a luta pela diminuição do preconceito, tenho acompanhado exemplos de desrespeito pela via da imposição.

Leis que criminalizariam a homofobia poderiam ser úteis, se embutidas nelas não viessem uma série de itens que criam um verdadeiro “cartel gay”. Por exemplo : se um candidato a emprego não for aceito por sua opção sexual, o recrutador poderá ser preso.

Ora, e se o preterido por sua incapacidade profissional argumentar na justiça que foi vítima de preconceito sexual ?

Outro parágrafo impõe que se o empregado for demitido por ser homossexual, quem o demitiu poderá ser preso.

Nesse caso vale o mesmo argumento. Será a estabilidade no emprego ?

Rescentemente um casal homossexual foi expulso de uma festa da USP.

O casal diz que dava um simples beijo, os organizadores da festa alegam que era bem mais do que um beijo e que fariam o mesmo se fosse um casal hetero.

Com um casal hetero seria mais fácil agir.

Agora, associações homossexuais planejam fazer um beijaço na USP. Pra que ? Aumentará a consciência ou ficará somente no campo da provocação ?

Se por um lado deve haver tolerância e respeito, lembrando que não se mede “superioridade” ou “inferioridade” entre humanos, principalmente levando em conta preferencia sexual ou raça, por outro, deve-se lembrar que as mesmas condições também não pressupõe superioridade ou privilégios.

É só uma questão de entendimento entre iguais, que percebem que, não pela imposição, afrontamentos ou ameaças, mas pela educação inclusiva é que chegaremos perto de uma condição melhor.

O preconceito é velado de ambos os lados.

Se vivemos um momento histórico onde temos a possibilidade de pela primeira vez na história um negro governar o país mais influente no mundo ou ser campeão de um esporte “elitista” como a Fórmula 1, por outro, ainda temos que lidar com demonstrações de falta de consciência ( dos dois lados) onde as pessoas são tratadas com desigualdade.

Somos todos iguais e o que nos diferencia é só a consciência.

Enquanto encararmos questões raciais com acalorados embates, estaremos distantes de diminuirmos um problema que hoje se esconde atrás de discursos politicamente corretos.

Sem consciência nada se resolve.

Não pela segregação, ditadura ou privilégios e imposição de comportamentos, mas pelo entendimentos de que somos iguais é que avançaremos terreno.

E que isso não traga provocações de ambos os lados porque, gostemos ou não, somos feitos do mesmo material, vivemos no mesmo mundo e nosso corpo , seja de qual cor, raça ou opção sexual, virará pó.

Vale a pena brigar ?

 

Leia também :   Preconceito : https://flaviosiqueira.wordpress.com/2008/10/22/preconceito/

Cotas para negros? :  https://flaviosiqueira.wordpress.com/2008/10/22/cotas-para-negros/

O dia que começa em você.

Antes que esse dia comece de fato, ele começou em você.

Expectativas, planos, medos,receios, vontades…está tudo aí dentro.

Se o dia vive aí, tempere-o com alegria ! Olhe a vida com gratidão, valorize o que você tem(nao me refiro a dinheiro), de mais valor as coisas simples e as pessoas que te cercam.

Preste atenção no que fala e contenha seu ímpeto.

Seja prudente e trabalhe com sabedoria.

Antes que enfrentar os leões, dome a si mesmo e aquiete o coração.

Pode ser isso que você precisa para ter um dia melhor.

Você é a mensagem.

Talvez você não saiba mas é uma “mensagem ambulante”.

Queira ou não, o que o tempo fez de você é mensagem para quem vê.

Ainda mais na era em que vivemos, somos observados quase que o tempo todo, de forma que ninguém escapa : tem sempre alguém olhando.

Intencionalmente ou não, mais do que fala, você é a mensagem. Mas, qual mensagem ?

É possível que você nem tenha tanta coisa a dizer, mas , ocupe-se disso: mais do que fala é o que você é. Mais do que diz, é o que faz. Seu exemplo tem poder de deixar marcas eternas, então, talvez seja hora de se preocupar que tipo de mensagem você passa para seus filhos, amigos, colegas, sociedade…

Pense nisso: você é a mensagem.

Pregadores do merchand.

Saiu hoje no Uol*, um artigo do Ricardo Feltrin comentando sobre um “pastor” que faz merchand de consórcio usando o nome de Jesus.

Ele ora, pula, grita, desafia e depois, com voz mais calma diz :”..você liga e realiza, em nome de Jesus, o sonho da casa própria, por apenas 300 reais por mês..”

Lembro que, quando gravava para uma rádio evangélica, de um pastor que, antes de entrar no ar comentáva em tom debochado com o operador :”Presta atenção como se faz, amanhã minha conta vai bombar”, e , quando abria o microfone dizia com voz chorosa : “Deus me disse que quer que você deposite 12 reais. Vai ouvir a voz de Deus? Porque 12 ? não sei, irmão, mistério…”

E a bispa que aparecia na televisão sorrindo e anunciando tudo o que é produto ?

Produtos, políticos, quem pagar aparece em lugares onde o povo é só moeda de barganha.

Cheios de sinceridade no coração, defendem seus líderes sem saber que, longe deles, são verdadeiros lobos.

” Cada um prestará contas da sua vida, eu faço minha obrigação”, dizem.

Obrigação ?

Isso é medo de Deus. Afinal de contas, diante de tamanho descaramento preferir não ver, arrumando justificativas, é ter medo de Deus.

Se acreditássemos que Deus é amor as coisas não seriam assim.

Eles usam o medo, exploram os desejos, alimentam a ganância, prometem o mundo e dizem ” se der certo a responsabilidade é da igreja, se der errado a culpa é sua”.

E o povo acredita.

Usam a liberdade religiosa para não serem molestados, quando descobertos alimentam o ódio dizendo-se perseguidos, capitalizam até o mal.

Para esses homens, tudo é dinheiro e não existe fé.

Fazem o povo acreditar que longe da “igreja” estarão longe de Deus, sem deixar que percebam que Igreja não são templos, mas gente, que “comunhão” não se dá em guetos onde todos pensam igual, mas na sociedade, que “palavra de Deus” não precisa ser um homem dando palavras de motivação em um microfone mas é tudo o que vemos e tudo que é bom.

Como lobos, conduzem as ovelhas para o matadouro, cegando-as e fazendo com que virem seres legalistas, moralistas, idólatras e juizes de todos.

O pastor do merchand é só um exemplo.

Os lobos estão entre os pastores, padres, políticos ou todo o grupo que tem poder de influência sobre uma massa de gente.

E não adianta discutir, provar, falar com coerência.

Vira guerra santa, Jirah !

Olham seus líderes como legitimos representantes do céu, e ai dos que atacam seu alah !

Ai se esse povo não tivesse medo de Deus…

Se aprendessem a questionar…

Se soubessem que pensar não é pecado…

Se não se sentissem tão culpados…

É a consciência baseada no amor e a sensação que, de fato, Deus é bom que nos livra dessa prisão, nos abre os olhos e nos deixa viver, descobrindo que igreja de fato somos nós e “igreja” no máximo uma extensão terapêutica do que, antes, começou no coração.

Que comunhão é como vivo e me relaciono com o mundo e a “comunhão” da igreja uma oportunidade de convivio social e fraterno entre iguais, e só.

Sem medo não seriam presas, em paz, sabendo que “não é por merecimento para que ninguém se glorie”, mas pela graça, sem explicação, sem meritos, sem honras, sem pirotecnias que encontramos a paz.

Simples, só isso.

* Link da matéria comentada : http://noticias.uol.com.br/ooops/ultnot/2008/10/29/ult2548u625.jhtm

Variar o modo de agir.

Assim se confundem os outros, especialmente os competidores. Não se deve agir sempre igual, pois a rotina se tornará uma armadilha e as ações serão antecipadas e frustadas.

É mais fácil matar a ave que tem um vôo uniforme que aquela que troca sua trajetória.

Também não se deve usar os mesmos truques, pois a armadilha será descoberta quando repetida.

A malícia espreita a ocasião, é preciso grande sutileza para despistá-la.

O jogador astuto nunca move a peça que seu oponente espera, e menos ainda a que ele deseja.

Baltasar Gracián em A Arte da Prudência