Bem Brasil de volta + Pagina com entrevistas.

Entre os planos para 2010 e o que tenho pensado de melhorias para o blog (tem muita coisa pra acontecer !), incluo a volta da atualização semanal do Bem Brasil, programa que apresento para a rádio portuguesa SINES.

Por isso está postado para audição e/ou download no meu podcast a última edição de 2009, que foi ao ar na segunda 28/12.

Acesse www.flaviosiqueira.podomatic.com e confira.

O programa ta bem legal !

Outra coisa, agora reuni algumas entrevistas que dei em 2009 la página “Entrevistas” ( botão logo acima aqui no site).

É só clicar e conferir.

Até lá!

Para um ano novo.

Vem aí mais um ano.

Mude o olhar, refrigere a mente, restabeleça amores.

Talvez seja hora de repensar quem é você e que tipo de diferença tem feito.

Como o mundo te vê ? Que legado vai deixar para aqueles que ama ?

Em 2010 eu quero enxergar.

Quero ver além do que me mostram e entender mais do que me explicam.

Quero que meu rosto corresponda a meu coração e que meus anseios não sejam tão pequenos, restritos ao que o dinheiro pode comprar.

Quero olhar pra vida com gratidão, percebendo em cada movimento uma enorme possibilidade de conexão.

2010 só vai ser bom se as sementes que eu deixar frutificarem para o bem. Se meus passos seguirem no contra fluxo do consumismo e da imbecilização.

Desejo que seu 2010 seja cheio de boas notícias, com muito mais motivos para se alegrar.
Que voce tenha sabedoria pra enxergar os presentes que virão nos dias ruins e possa desfrutar com equilibrio quando tudo estiver como deveria estar.
2010 não será perfeito, mas você pode torná-lo melhor.
Que assim seja para todo aquele que quiser.

A consciência e a lei.

Dia desses me lembrei de que uma das coisas que mais me irritava como âncora da rádio trânsito em SP é quando um ouvinte ligava de dentro do carro, geralmente parado em algum mega congestionamento, para defender a ampliação dos dias do rodizio municipal de veiculos.

O que me deixava chateado não era o que ele defendia, mas o que lhe motivava:

– Porque você não deixou seu carro em casa hoje ? , eu perguntava

– Ah, porque tenho que trabalhar né. – respondia o ouvinte.

Então o rodízio não era para o bem da cidade. Era só um meio para retirar da sua frente os outros carros e deixar a rua livre para nosso amigo.

Ja percebeu que quanto menos consciência uma pessoa demonstra ter, mais legalista será?

O excesso de leis demanda tutelamento, obrigações, imposições necessárias onde só se obedece se houver punição.

Não faço o bem simplesmente porque é bom. Faço o bem para que o mal(punição) não venha sobre mim.

Outro dia uma pessoa me dizia que o conceito de punição e medo que em geral as igrejas imputam sobre Deus é necessário a medida em que, sem freio, o povão perde a estribeira.

Discordo.  Por mais difícil e demorado que seja, prefiro caminhar pela via da conscientização; aquela que transforma o bom em bem.

Porque bem por culpa ou medo não é bom, é só mal com aparência de virtude. Interiormente provoca o efeito contrário apesar de por fora confundir-se com justiça, altruismo, boa vonade ou preocupação com o próximo.

É por isso que em ambientes “santos” existe tanta gente doente e ambientes “sérios” tantos corruptos.

Se minha opção é andar pela lei -e não pela consciência- faço porque devo, sem pensar, questionar ou saber a razão: Respeito  porque sou obrigado e meu “pagamento” é não ser punido.

O problema é que nossa alma não aceita isso.

Interiormente, de um jeito ou de outro, sempre buscamos um sentido para as coisas que nunca é encontrado pela via da imposição.

Ambientes legalistas são fábricas de gente adoecida.

Exigir o aumento do rodízo (rigorosidade da lei) enquanto eu não deixo meu carro em casa (falta de consciência) é só um pequeno exemplo do quanto o legalismo faz mal.

Descansar na lei pode ser mais fácil a medida em que te acomoda, mas será que vale a pena?

Até que ponto você depende dela?

Saber o real valor das coisas, repensar suas prioridades, re-checar constantemente as motivações, entender porque faz ou deixa de fazer questionando se o teu caminho hoje é fruto de bom entendimento, isso é consciência.

Mentes consciêntes são pacificadas. Esses sabem que o bem basta em si.  O que vier além disso,tende a nos tornar dependentes de um sistema que até pode nos tornar respeitáveis e admirados, mas será só do lado de fora.

No raio X da alma aparecerá o quanto ela envelheceu e se desgastou.

Pense nisso.

Seu plano meu.

Manhã de 1994. Eu tinha trabalhado a madrugada toda e, pouco antes de sair da rádio recebi uma ligação dizendo que a família toda estava reunida no hospital Albert Eisten em São Paulo.

Era o fim de uma breve, porém intensa, batalha de três meses de luta da tia Lia contra a leucemia.

Lia, irmã caçula da minha mãe, tinha 39 anos, dois filhos pequenos (Rodrigo e Juliana) e um marido apaixonado (Fernando).

Lembro da última vez que conversei com ela, entre um tratamento quimioterápico e outro : ” Tudo isso me ensinou muito, sou uma nova pessoa”. ela disse.

Não tivemos tempo para conhecer a nova pessoa. Aquela manhã no hospital foi sua última aqui na terra. Cumpriu o que cantou ” Sobre terra ou mar, onde Deus mandar, irei…”

Lia deixou mais que saudades. Deixou exemplos, lições e sua voz que hoje, navegando pelo youtube, me deparei.

Ela cantava como anjo, em um tempo em que a fé podia ser excercida sem barganhas, sem comercios…

É domingo de manhã e, enquanto todos dormem, parei para ouvir a tia Lia cantando “Seu plano meu”

Ela continua a falar :

De volta pra casa. (Novo video)

Faz tempo que me enviaram essas imagens que são recortes de uma série de reportagens produzida pela BBC de Londres e apresentada pela Rede Globo.

As que recebi já tinham uma narração, estavam boas, mas achei que nelas cabiam um texto.

Hoje veio a inspiração, escrevi, adicionei e com a ajuda da belissima musica “Face in the photography” de Yanni Chrysomallis o resultado você ve na sequência. Espero que absorva o que quis dizer:

Enquanto isso em Brasilia…

Hoje eu estava assistindo a uma sessão plenária no congresso nacional pela tv.

Que loucura !  Enquanto alguém fala, os outros sequer fingem que estão prestando atenção.

Vozes pra todos os lados, gente no celular, abraços, sorrisos escancarados evidenciam que lá dentro a preocupação é só com o próprio umbingo.

Cada um fala sobre um assunto e, no fim das contas, ninguém se entende.

Agem como verdadeiros colegiais daquelas escolas onde o professor não tem absolutamente nenhuma autoridade e cada um faz como quer.

Sinceramente fiquei impressionado com a bagunça que é aquilo, e ainda televisionam !

Basta ver nossos nobres representantes “trabalhando” para entender a situação que a politica desse país vive.

Os bons indicadores da economia de maneira alguma podem mascarar uma realidade gritante: Elegemos politicos que- com raríssimas excessões- só pensam em se auto beneficiar ou aos “cartéis” que representam.

Não existe nenhuma espécie de peocupação genuinamente social e, quando aparentemente há, é puro fisiologismo.

Mas o pior da história é que aqueles senhores engravatados e sorridentes são retratos de nós mesmos.

Enquanto nossa única preocupação for o pão e a diversão, seremos levados por promessas e agradinhos.

Somente criticar os politicos enquanto o povo age com desonestidade e desleixo é comodo demais.

Em níveis diferentes e, cada um de acordo com a oportunidade que lhe aparece, fazemos o mesmo, sempre acreditando no cada um por si.

Se a preocupação em conscientizar não vem de Brasilia, que comece em cada um de nós.

Leia, se informe, procure saber sobre política e a realidade em que está inserido, estude, cresça!

Esperar que aqueles senhores eufóricos façam algo é utopia.

Eles só vão mudar quando eu e você também o fizermos.

E vem aí mais uma cansativa eleição.