Novo Canal no ar ! + Falando sobre mediocridade.

Coloquei no ar um novo site.  A idéia é , além de promover minha nova empreitada : consultoria em rádio, propagar para os colegas de comunicação valores que tratamos aqui faz alguns anos. Você ja deve ter percebido que não acredito ser possivel desvincular o que somos do que fazemos. No trabalho, entre amigos, na sociedade de maneira geral refletimos o que nos habita o coração. Por isso o http://fsiqueira.com é especifico sobre rádio e meus trabalhos, mas confesso que não seria capaz de evitar falar sobre nossa condição humana, nossos pensamentos, mente, olhar e a importancia de tudo isso no rádio.

Esse site aqui – flaviosiqueira.com– continua como está, de modo que agora temos mais um canal para nos relacionarmos.

No novo site criei uma coluna chamada “Video Papo sobre Rádio”. Pretendo atualizá-la pelo menos uma vez por semana. Abaixo trato sobre o tema “Lidando com a mediocridade”.  Foco o assunto no rádio, mas pode muito bem ser sua empresa, faculdade ou qualquer ambiente onde humanos se relacionam.

Espero que assista, goste e me visite também no http://fsiqueira.com


Podemos vencer e venceremos!

Dr Fernando Siqueira- 1940

Não sei o que houve naquele dezesseis de julho de 1940. Talvez algum contratempo entre os jovens que ainda faziam planos. Um problema de trabalho, de saúde ou somente uma mensagem encorajadora para os dias que viriam. Não sei a razão que motivou o futuro medico escrever atrás de uma pequena foto do seu rosto    “Podemos vencer e venceremos“.

Por razões que também desconheço a mensagem viajou no tempo e, além do casal, serviu de motivação para o primogênito deles, meu pai, que agora em uma mesa de restaurante, emocionado, me oferecia o presente.

Era um bilhetinho escrito a mão, atrás de uma foto amarelada, uma frase simples, nenhuma grande construção, mas com enorme significado.

Ao invés de aceitá-la, propus que ele ficasse com a foto mas me permitisse scanea-la. É estranho o poder que ela tem de nos lembrar que a possibilidade da “vitória” é sempre uma realidade. Nós ganhamos ou perdemos quando projetamos na vida o estado de espírito que vive dentro de nós.  Começa em nossa disposição em dar significado ao que fazemos, entendendo que a grande vitória não tem a ver com o que posso comprar, mas com aquilo que sou.

Mas não quero ir além da mensagem da foto. Ela é simples e verdadeira.

Naquele Julho de 1940 meu avô não cogitava que estava falando com mais gente além de sua Débora. Ele não sabia que, mesmo amarelado e envelhecido, aquele papel viajaria no tempo e, mais de setenta anos depois, estaria aqui para dizer para mim e você que, independente de qualquer coisa, Podemos vencer e venceremos.

Simples assim.

Quando os olhos são bons.

2584072365_2b8c3058eb

O mundo é sempre o mesmo.

Todos os dias o sol nasce de manhã e depois se põe.

Enquanto uns dormem, outros trabalham durante as madrugadas.

Nas ruas os carros vão e vem, enquanto executivos, estudantes e donas de casa dividem apressadamente a mesma calçada.

Apesar dos visíveis avanços tecnológicos e cientificos, como diria o escritor de Eclesiastes, nada é novo debaixo do sol.

No entanto, apesar dos bilhões de anos da Terra, cada existência só tem a idade da própria percepção.

Foi quando o homem discerniu que existia e começou a estabelecer referências que,de fato, a vida começou.

É nossa capacidade de perceber que traz luz aos contextos e faz com que, a partir de então, passem a existir.

O mundo é sempre o mesmo, porém o que muda é o olhar.

A maneira como percebemos as coisas  reflete exatamente como está nossa condição interior, e isso faz toda a diferença.

Seu olhar denuncia o que te habita.

Se seu coração for cheio de paz, a vida parecerá mais leve.

Se nele habitar mágoa, seu espírito será de acusação, sempre na defensiva e cobrando da vida como se todos te devessem alguma coisa.

Quando estamos sem luz, o olhar não vê nada além de nossa própria escuridão.

Eu acredito em milagres

Eu acredito em milagre. Aliás, eu os vejo todos os dias, o tempo todo.

Quando saio da cama e olho pela janela, tudo escuro, o som dos pássaros que acordam, a brisa gelada da manhã.

Só o milagre explica a sensação de fechar os olhos e sentir o mundo inteiro pulsando dentro de mim, o universo que vive em minha mente, as possibilidades e variações que existem em cada movimento.

Eu acredito em milagre.

Quando vejo meu filho crescendo, quando sinto amor e vontade de ser alguém melhor. Quando enxergo meus limites e tento superá-los na minha eterna luta por ser mais do que a media convenciona que é bom.

Acredito no milagre continuo, presente, natural, que está no que chamo de simples e, talvez por isso, nem sempre enxergo.

O milagre mora em mim. Sou um milagre quando vejo, sinto, me movimento, falo. Quando, falho, finito, boneco de carne que sou, me deparo com uma chama que me transcende, não se prende ao tempo ou ao espaço e que mora dentro de mim, dizendo o tempo todo que sou mais do que um esqueleto que sustenta um monte de orgãos, carne e sangue.

Milagre não é o espetáculo. Sagrado não é o que a gente determina.

O milagre está em mim, está em nós, sempre, cedinho, nos primeiros movimentos da manhã e no ultimo suspiro do anoitecer, continuamente e a gente nem vê.

O milagre é natural e irrestrito. O Sagrado está em todo o lugar.

Acredito no milagre da vida, esse breve lapso de existência que caminha para o apodrecimento do corpo, mas que não me cessa, não me prende, nem me convence que um dia terminará. Só o milagre explica o jeito que, apesar dos pesares, sou remetido dia e noite para um lugar onde não caibo, mas que estranhamente cabe dentro de mim.

Hoje sei que não há sequer um momento em que a vida deixa se movimentar, criando um fluxo que me trás de volta a mim mesmo. Como o corpo que se cura depois de um corte, a natureza que renasce depois do incêndio, o fluxo natural é sempre ao encontro de nossa essência, na regeneração de nossa consciência.

Quanto a mim, apenas enxergo. Esse é meu único papel : Abrir os olhos, desintoxicar os sentidos, alimentando a percepção que me traz de volta para casa, lembrando dia e noite que o milagre está em mim, que o milagre sou eu.