A lição de Sung Bong Choi

Pare 8 minutos e assista esse vídeo.  A gente sempre tem uma porta aberta que nos leva para um mundo melhor. Só precisamos enxergar.

Anúncios

Como agir com o outro?

Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você. Ja ouviu isso ?

Talvez parte dos nossos erros estejam aí.

Pais que criam filhos do mesmo jeito olham mais tarde e se perguntam “porque um sai assim e outro totalmente diferente ?”.

As pessoas são diferentes e entender suas diferenças ajuda muito no trato.

Mudam as percepções, valores e jeito de reagir diante dos conflitos da vida. Mudam gostos, referências, preferências, carencias, vontades e sonhos. Se é assim, porque devo fazer ao próximo o que gostaria que fizessem a mim ?

Se pais, maridos, esposas, amigos e colegas percebessem isso, teriamos menos conflitos no dia a dia.

Você conhece a pessoa que ama ? Sabe o que ela(e) gosta de verdade ou tenta molda-la a seu gosto, acreditando que do seu jeito é melhor ?

Isso também é egoismo.

Compreender as caracteristicas de cada um, sabendo que ser diferente de você não implica necessáriamente em um erro e transferir essa compreensão para o trato, aproxima as pessoas, abaixa as guardas e desarma os ânimos.

Da próxima vez, aos invés de fazer o que gostaria que fizessem a você, procure olhar mais para o outro e saber o que ele precisa.

Aposto que será melhor para todos.

Ainda dá tempo

Quando era criança, quem imaginava ser quando estivesse na sua idade?

Será que, exageros a parte, você ao menos se parece com aquela idealização ?

Engraçado como a maioria das pessoas não é aquilo que gostaria de ter sido.

O bancário queria ser bombeiro, o engenheiro ser piloto e o professor achava que se transformaria em ator.

Tendemos a, como diria Martinho da Vila, deixar que a vida nos leve nos esquecendo que, na verdade, podemos ser quem quisermos ser.

Se pudesse mudar as coisas que lhe desagradam, o que mudaria ?

Ao longo da vida tendemos a criar determinados padrões que nos servem como guia para sempre. Isso vai se cristalizando e, de alguma maneira, nos convencendo que, se foi nosso caminho até alí, é porque não existem outras estradas.

É por isso que costumamos repetir padrões nas escolhas, sejam elas sentimentais ou profissionais.

Criamos uma imagem e acreditamos que somos aquilo sem saber que o verdadeiro “eu” poucos conhecem.

Buscamos a aprovação das pessoas, o reconhecimento da sociedade, a admiração dos colegas e não percebemos que enquanto os outros me categorizam, corro o risco de me tornar refém na tentativa da manutenção daquela imagem, por mais distorcida que seja.

Deixamos que qualquer vento nos leve por qualquer caminho sem a menor idéia do que nos transformaremos até chegar ao destino.

Você pode ser quem quiser.

Se tiver coragem de romper laços, quebrar padrões e não precisar da aprovação dos outros, saiba: você pode se transformar em qualquer coisa, afinal de contas, sempre é tempo.

Me lembrei do filme Duets onde um dos personagens surta e ,de comportado corretor, vira um doidão muito mais sorridente e feliz.

Se transformações são inevitáveis que sejam para o bem e naquilo que queremos ser.

Você está feliz com o que é ?

Pense diferente, rompa padrões, veja o que não costuma ver, vá onde nunca foi, leia mais, sorria mais, converse mais, repare mais nas pessoas e na vida, não tenha medo de se arriscar, surpreenda-se, mude o assunto, não tenha medo de ser incompreendido, encare sua humanidade sabendo que sempre será cheio de ambiguidades.  Não tenha medo se ser humano, não se compare com ninguém, se apaixone, perdoe, ame, pergunte, questione, pense, erre, acredite, seja simples e grato sem culpa, sabendo que a vida acontece a medida que se expõe a ela.

Mudar a rota é questão de opção e coragem , afinal de contas, sempre existe um preço.

Você está disposto a isso ? Ainda dá tempo…

 

Felizes os que tentam

Felizes aqueles que aprenderam a ser fracos.

Que não precisam se impor para conquistar nada porque sabem que, pela imposição não se conquista, mas amedronta.

Felizes aqueles que aprenderam a se desculpar.

Esses sabem que quando a palavra “me desculpe” vem carregada de sincero arrependimento, é possivel mover montanhas.

Felizes aqueles que procuram se alimentar do que é bom.

Se a boca fala sobre o que o coração está cheio, somos aquilo que nos alimenta, atrai, instiga e motiva. No fim das contas, todos os nossos passos tendem a seguir na direção daquilo que, antes nos conquistou, e depois se instalou na alma.

Felizes aqueles que buscam a sabedoria.

Por saberem que, mais do que inteligência, a sabedoria lhe dá capacidade de discernir as palavras, ler os olhares, interpretar o espirito das coisas.

Felizes aqueles que não tem medo de errar.

É melhor errar tentando acertar do que ficar paralisado por medo.

Felizes aqueles que buscam aumentar sua percepção.

A vida passa por nossos sentidos com muito mais sutileza do que pensamos. Perceber seus movimentos, inverter os sentidos, olhar o que ninguém vê, muitas vezes, ajuda a enxergar o caminho.

Felizes aqueles que sabem que os excessos fazem mal.

Em tudo o equilibrio é mais adequado do que de menos ou de mais.

Felizes aqueles que sabem que o amor é graça.

Pois, se é graça, não há absolutamente nada que eu faça que aumente ou diminua o amor porque ele simplesmente é.

Felizes aqueles que vivem em cada dia seu próprio mal.

Sabendo que, por pior que as coisas sejam, nada supera a força que temos para suportá-la e superá-la.

Felizes aqueles que entenderam que o valor das coisas não está no tamanho, mas no que ela é.

Esses já sabem que o poder é relativo e que geralmente as pequenas coisas são mais valiosas.

Felizes aqueles que buscam o conhecimento ao invés do poder.

Se ja abriram mão de serem poderosos, conhecerão o verdadeiro poder.

A vida é feita de pequenas coisas e a melhor viajem é de dentro pra fora.

Se entender e praticar a vida assim é tão difícil, felizes os que, pelo menos, tentam.