Entrevista Portal Making OF

Flavio Siqueira lança novo livro – Portal Making Of

“Primeiro uma música suave. Como o sol que se põe sem que a gente perceba ou a Terra que gira pelo espaço sem nos dar tontura, um som rasgou o silêncio. Veio aos poucos, embalando o sonho, fazendo-se perceber sem pressa, dando consistência ao vazio, alterando o ritmo do mundo sem cores e confuso que lentamente ia ficando lá atrás. Quando o ritmo muda, muda tudo. Tons agudos, quase sem melodia. O caminho de volta à consciência anunciando que o sono acabou. Seis e meia. Ainda ao som do despertador, Ed se arrasta para fora da cama, lutando para reorganizar os pensamentos.” “O Éden – A surpreendente jornada de um homem em direção à Deus e a si mesmo” é o novo romance da Editora Cia dos Livros, escrito de uma forma leve e romântica por Flávio Siqueira. Este livro de ficção conta a história do aviador Ed Mingot que vive a crise da recente separação que o distanciou de Gabriel, seu filho de 5 anos. Tudo piora quando recebe a notícia de um grave acidente, colocando o menino na UTI entre a vida e a morte. Vivendo entre a culpa e um profundo vazio, inesperadamente Ed inicia uma comovente jornada pelo jardim chamado ÉDEN onde Anjo, um misterioso anfitrião, o acolherá revelando fatos importantes de sua própria história. (Ficha Técnica: Livro: O Éden; Autor: Flavio Siqueira; Editora: Cia dos Livros; Paginas: 288; Preço Sugerido: R$ 39,90)

Entrevista com o autor

Prezado Flávio, o que o levou a escrever seu primeiro livro de ficção?

Flávio Siqueira: Depois da experiência de lançar meu primeiro livro, o “Dez histórias e algo mais”, senti que precisava de outros recursos para contar a história de Ed Mingot. Adicionei muita coisa pessoal, muitos cenários, viagens humanas, psicológicas e existenciais que, a meu ver, caberiam melhor em uma ficção que me daria liberdade para compor algo com mais densidade e clareza.  Além do mais acredito que o vinculo entre o leitor e a história aumenta a medida que ele consegue contextualiza-la com seu momento de vida, com situações do seu próprio dia a dia, inclusive utilizando-se dos recursos históricos e ambientais que são abundantes no livro.

Nele, Ed Mingot, o personagem principal vive nos dias atuais onde as pressões do cotidiano, muitas vezes, nos distanciam de nossos próximos e, para alguns, de uma busca espiritual. Podemos dizer que esta situação é um mal de nosso tempo e que, apenas em situações extremas paramos para avaliar nossos valores?

Flávio Siqueira: Não acho que seja só do nosso tempo. É claro que a correria e as pressões do dia a dia influenciam para que assumamos essa posição natural de simplesmente nos deixar embalar pelo fluxo da media, aceitando o que a maioria convencionou como sendo bom. Vejo isso como uma condição humana que, em muitos casos, só muda quando algo extremo acontece. Isso está presente em todas as áreas da sociedade, inclusive nas ligadas a religiosidade. A percepção de que é assim nos leva para a encruzilhada onde devemos decidir se continuaremos no fluxo da média ou nos submeteremos a constantes e eternas reavaliações pessoais de valores e prioridades. Ed precisou desse choque para perceber que existiam muito mais sujeiras varridas para baixo do tapete do que gostaria de admitir.

Enquanto você construía a história, o que mais te sensibilizou e o fez repensar sua própria vida?

Flávio Siqueira: Escrever um livro como O Éden é um presente, especialmente porque seria impossível faze-lo sem se entregar a mesma viagem do personagem. Para construir os diálogos e conectar as questões de Ed e as respostas do Anjo com as mesmas questões que porventura habitam o coração e a mente dos leitores, tive que fuçar minha alma e cavar o mais fundo que pude em minhas próprias questões. Lá encontrei ambiguidades, relativizações que precisavam de curas e respostas, assim como Ed. De um jeito ou outro a busca dele foi a minha também, assim como a cura que ele encontrou foi a mesma que me curou.

Em que parte da história você acredita que os leitores ficarão mais emocionados?

Flávio Siqueira: É muito difícil para um autor, especialmente em se tratando de uma obra tão humana, destacar uma parte mais emocionante, ainda mais nesse caso onde inclui alguns elementos de minha própria história. Há muitas, situações, cenários, questões, medos, culpas e desfechos que podem perfeitamente ser aplicados a inúmeros contextos, de modo que acredito que cada leitor se identificará a parte que lhe couber. No entanto, o poder desse livro ficou mais claro a medida que ouvia relatos de leitores que realmente se abalaram com a história e me contavam com muita emoção o quanto determinado trecho lhe tocou. No fim das contas tudo o que quero é que cada leitor se encontre na jornada de Ed e, nela, identifique suas próprias questões e encontre as respostas necessárias.

Qual a mensagem você gostaria de passar aos leitores?

Flávio Siqueira: Olha, uma das coisas que faço questão de deixar claro é que tudo o que nos rodeia, as pessoas, situações, ambientes e históricos, refletem aquilo que somos e não necessariamente o que queremos.  Nos denunciamos o tempo todo em nossas escolhas, especialmente no significado que damos para cada coisa que acontece.  Portanto, toda construção existencial deve acontecer de dentro para fora, partindo da consciência de nossa própria relatividade humana que nos remete a necessidade de vínculos mais consistentes e verdadeiros.  Se cada leitor entender que é desse chão que deve partir suas relações, inclusive com Deus, ficarei plenamente realizado.

Embora seu livro anterior “Dez Histórias”, esteja baseado em fatos reais, a valorização da vida e a exposição do ser humano diante de limites, de tragédias, estão presentes nos dois livros. Qual a ligação literária entre os dois?

Flávio Siqueira: Os dois são reflexos daquilo que sou. Cada um a sua maneira, usando seus próprios recursos, contando suas próprias histórias, porém nascidos a partir do mesmo coração que sempre faz questão de deixar vazar no que faz aquilo que é. O Dez Histórias está ligado a um tempo específico de minha vida. Foi quando decidi sair de São Paulo em busca de novos caminhos profissionais e pessoais. Ainda estava sob o impacto de uma intensa experiência humana como âncora e repórter de uma rádio especializada em trânsito. O Éden reflete outro momento, onde já trilhando por novos caminhos, buscava respostas que conectassem as diferentes fases e me mostrasse o sentido de tantas experiências que estava vivenciando. Apesar desses contextos diferentes, ambos expressam minha intenção em usar a comunicação em beneficio de quem se expõe a ela e que isso seja fator colaborador para que cada leitor encontre suas próprias respostas.

Suas experiências como repórter, servem de base e referência para os livros?

Flávio Siqueira: Todas as minhas experiências servem de referência para tudo o que faço. É assim porque tudo o que faço é um pouco daquilo que sou. Minha experiência como repórter não influencia mais do que a minha como marido, pai, filho, amigo, humano que, apesar das próprias ambiguidades, busca caminhos de cura e, a medida em que encontra, tenta compartilhá-las com que lê.

Seus leitores já podem esperar por novas histórias?

Flávio Siqueira: Claro, podem sim. Sou um daqueles que foram mordidos pela mosquinha da literatura e tenho encontrado nela um canal cada vez mais poderoso para me comunicar. Estou no começo dos trabalhos relacionados ao terceiro livro, também uma ficção e, como os outros, carregados de questões humanas, existenciais e espirituais. Mas ainda é só o começo, tem muita coisa gerando dento de mim. Provavelmente as novidades começarão a aparecer depois do segundo semestre de 2012.

Sinopse

“O Éden – A surpreendente jornada de um homem em direção à Deus e a si mesmo”. Algumas histórias são iluminadas. Sem que notemos se escondem em algum lugar de nossas almas e depois são resgatadas quando mais precisamos, surgindo como uma frase, um pensamento, um exemplo que jorrou como insight revelando que sempre esteve lá.  Esta história é assim. “Se damos a Deus o crédito das bênçãos, por que não o ônus das tragédias? Por que frequentemente tudo parece dizer que Deus simplesmente não se importa? Aliás alguém pode garantir que nossas escolhas nos levarão a algum lugar?” As respostas iluminarão a alma do aviador do aviador Ed Mingot e a sua também. Fé, dúvidas, culpa, morte, amor, esperança e os caminhos que percorremos em busca de sentido mesmo onde parece não haver compõe o cenário do ÉDEN. Um livro tocante que impactará leitores de todas as idades e se instalará em sua alma com uma intensidade transformadora, incluindo você nessa jornada ao encontro de si mesmo e de Deus.

Conheça o autor

Em 2009 foi o ano em que Flavio Siqueira deixou de ser um nome exclusivamente do rádio e entrou definitivamente no mundo dos livros. Antes seus textos e vídeos jáiam sucesso na internet, mas foi no lançamento com seu primeiro livro, “Dez Histórias e Algo Mais” (Ed. Besouro Box) que nasceu o escritor. “O Éden” é sua primeira ficção.

Blog: www.flaviosiqueira.com Twitter: @flaviofsiqueira

Link da entrevista: http://www.revistamakingof.com.br/27,44904-jornalista-fl%C3%A1vio-siqueira-lan%C3%A7a-novo-livro-confira.htm

Anúncios

Crianças “Bruxas”- Você se importa?

É dificil imaginar limites para a maldade humana.

Parece que a coisa piora quando atrocidades são cometidas contra crianças e ainda por cima usando para tal o nome de Deus. Faz alguns dias que essa história tem latejado fortemente em mim, de modo que tenho me movimentado para ajudar aos que estão lá lutando contra isso.

Aliás, é possível que no próximo ano eu vá a Nigéria para documentar o que esses “pastores” tem feito.

Pare dez minutos do seu dia frenético, tire o foco do seu umbigo e entenda o que está acontecendo.

Ajude compartilhando esse post com seus contatos e, sobretudo, comprando o livro “Missão Salvar”.

Você se importa?

Saiba como ajudar

 

O bem, o mal e o amor – Trecho do livro O ÉDEN

 Quer dizer que minhas reações diante do que acontece interferirão em tanta coisa. Tanta gente pode ser afetada…
– Esse é o caldo da vida, meu amigo. Por isso vocês erram quando dizem que Deus determinou que fosse assim. Na verdade são vocês que estão criando seus próprios caminhos a partir das conexões que estabelecem ao longo da vida e de como lidam com elas. Vocês são todos e tudo ao mesmo tempo. No seu interior vive um pedaço de cada ser que respira. Há um mundo inteiro
em sua mente e a humanidade vive em sua alma. Foi assim desde o início para que pudessem experimentar na plenitude o bem do amor que só é real quando compartilhado. Mas, lembra-se quando falamos da necessidade humana de conhecer além do bem, o mal? Nesse ponto voltamos ao principio de nossa conversa.
– Sim, me recordo, quando disse que a escolha em conhecer o mal abriu uma janela para que o percebêssemos e, nesse caso, o experimentássemos como possibilidade, não é isso?
– Ainda bem que se recorda porque isso é essencial. O conhecimento do mal interfere nas conexões humanas como um vírus que só pode ser eliminado diante dos frutos de um coração que reage em amor. Por isso é tão importante que cada um de vocês melhore a si mesmo, ao outro e a humanidade a partir de reações individuais que impactarão adiante e espalharão no “sistema” o antivírus do amor.

Sobre as dificuldades em encontrar O Éden em algumas livrarias.

Tem muita gente me escrevendo para dizer que não tem encontrado meu livro, O Éden, nas livrarias. Semana passada fui à SP para me reunir com o povo da distribuição da Cia dos Livros e a informação foi a seguinte: Por conta de um inventário de estoque  houve atraso na entrega, problema que será resolvido nos próximos dias. Portanto se você for à uma livraria e não encontrar O Éden, peça para o atendente encomenda-lo, pois, nesse caso, assim que o livro chegar eles lhe avisarão.

Apesar de não estar nas prateleiras, é possível comprá-lo pelos sites das grandes livrarias (links abaixo) por já terem o titulo em seus cadastros.

Também fui informado que esse não é um fato generalizado e que, especialmente no Norte e em algumas livrarias do Rio de Janeiro a situação está normalizada.

Se você não encontrar o livro ou tiver qualquer outra dúvida, fique a vontade para comentar esse post até para que eu possa reenvia-lo à editora.

No mais, não perca a chance de ler O Éden e, quem sabe, presentear alguém no fim do ano com o livro que certamente fará muito bem.

Obrigado por tudo e vamos nos falando.

Links para compra pela internet:

Cia dos Livros:   http://www.ciadoslivros.com.br/eden-o-2011-edicao-1-p398175/

Livraria Cultura: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/busca/busca.asp?palavra=flavio+siqueira&tipo_pesq&tipo_pesq_new_value=false&tkn=0

Livraria Saraiva:

http://www.livrariasaraiva.com.br/pesquisaweb/pesquisaweb.dll/pesquisa?ID=BB15059C7DB0A031000270271&ESTRUTN1&ORDEMN2=E&PALAVRASN1=flavio+siqueira&image2&FILTRON1=X

Deus. – Trecho do livro O Éden

“Deus não está fora.
Não pode ser quantificado, muito menos explicado. Ele nunca será objeto de estudo, muito menos limitado a qualquer definição. Por isso, sejam regras, cartilhas, costumes, leis ou palavras: nada poderá o conter. Ainda assim, ele está em tudo o que existe.
Mesmo que não saibam, ele vive em cada história, cada percepção e definição de realidade. Ele é o laço que os mantém conectados. Não há nada que exista independente, que seja desconectado do todo, seja na Terra ou fora dela. Tudo está interligado e cada movimento interfere no todo. Não há homens ou mulheres completamente independentes de uma única realidade, que alimenta, abastece, envolve e abriga tudo o que existe. Esse é Deus. Nele tudo existe e fora dele simplesmente não há nada. Nele vocês criam sua própria realidade e escolhem que tipo de caminho trilharão. Pode ser um bom caminho e lhes fazer bem. Pode ser um caminho de dor, cheio de angustias ou mágoas, mas nenhum deles existirá fora dele. Por isso, a sensação de estar longe de Deus é apenas uma sensação, nunca uma realidade. Suas vidas só existem Nele e é isso que lhes projeta sua imagem e semelhança. Não é uma referência física, não tem a ver com domínio, poder ou aparência como alguns acreditam. Vocês são feitos a imagem e semelhança de Deus porque só podem existir Nele e, a cada um, foi dada a condição de criar.” Trecho do livro O Éden. Mais aqui: https://flaviosiqueira.com/dez-historias-e-algo-mais/