Flavio o que acha desse proverbio? : “para saber se a pessoa é um buda ou um demônio, procure saber se ela tem algum desejo por sexo ou cobiça de dinheiro.”

Prezado Flávio,
Você tem algum post sobre sexo? Pergunto isso porque li um provérbio budista que diz:
“para saber se a pessoa é um buda ou um demônio, procure saber se ela tem algum desejo por sexo ou cobiça de dinheiro.”
Achei isso fanatismo religioso, mas estive pensando: aqueles caras que foram executados na Indonésia não estavam atrás de sexo/dinheiro?

Resposta: Não acho que o problema esteja no sexo ou no dinheiro, mas no que fazemos com eles. O provérbio que citou fala sobre o “desejo” e a “cobiça”, eu vincularia as palavras: desejo cobiçoso.

Isso porque, assim como o sexo ou o dinheiro, “desejo” não é necessariamente mau. Faz parte de nossa natureza desejar e, se desenvolvermos habilidade de projetar significado, inclusive nos desejos, fará bem.

Sexo e dinheiro não carregam nenhum tipo de energia, negativa ou positiva. Assim como a comida, os prazeres, as experiências de maneira geral. Elas falam aquilo que dizemos à elas, refletem o que somos. Portanto, a questão é: meu olhar projeta cobiça? Na minha opinião a raiz da cobiça não é o desejo, mas a insegurança que se projeta na necessidade de ter para mascarar o que não quero ver.

Nesse caso, tudo que é fruto de cobiça promoverá distorções, até a caridade, até a doação, até a devoção, caso eu dê, doe, ou devote em troca de algo, barganha mascarada de piedade.

Quanto aos homens recentemente executados na Indonésia, não posso dizer o que lhes movia, isso só eles sabiam ( e olhe lá!). De qualquer forma, ainda que a justificativa fosse na direção do sexo e dinheiro, indo um pouco mais longe, não me satisfazendo com isso e adicionando um “por que?” talvez percebêssemos que “sexo” e “dinheiro” são apenas símbolos que nos faz acreditar que, ao possuí-los, seremos finalmente “alguma coisa”. Já somos e exatamente por isso não é necessário que nada nos legitime.

Por fim, não gosto dessa coisa de que uns são “budas” outros “demônios”.  Somos todos gente com altos e baixos, idas e vindas, sombras e luzes, corpos que abrigam o bem e o mal, todos dizendo a mesma coisa, as mesmas causas, caminhos diferentes para reencontrarmos o caminho de casa.

Tudo, inclusive o sexo e o dinheiro, pode ser bom. Tudo, inclusive o sexo e o dinheiro, pode ser mau. É o seu olhar que projeta significado em todas as coisas.

Anúncios

Um comentário em “Flavio o que acha desse proverbio? : “para saber se a pessoa é um buda ou um demônio, procure saber se ela tem algum desejo por sexo ou cobiça de dinheiro.”

  1. Flavio, boa noite!

    Hoje o Mensagens que chegam pela manhã, foi de um dos mais profundos ensinamentos que já houvi , não sei se pelo meu estado de espírito, mas fiquei impressionada com a conexão de pensamento, foi como se tivesse relembrando, as palavras surgiam e se encaixavam…foi uma sensação maravilhosa! Eu ouvi a reprise da tarde e por incrível que pareça, conversei com minha tia ontem a noite sobre o que foi dito por você hoje.
    Agora lendo o texto lembrei de uma frase de Nietzsche sobre o desejo “Amamos mais o desejo do que o ser desejado” não se você concorda com isso.

    Grata,

    Maria José 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s