Enquanto lê esse texto

Enquanto lê esse texto há um homem dentro de um carro. Ele passou há pouco por ai, a mente dá voltas em um problema que não consegue solucionar. O farol fechou. Parou o carro, deu um suspiro e aproveitou para relaxar e pensar.

O homem não viu o hospital logo na esquina. Arrancou e sumiu no horizonte deixando o mundo para trás, inclusive o hospital, onde, em um dos quartos, uma senhora observa o marido sedado, em coma, depois de um inesperado AVC. A filha passou a noite inteira com ela e faz alguns minutos que saiu para resolver questões em casa, tomar banho e se preparar para voltar. A senhora levanta da cadeira devagar, estica o corpo e caminha até a janela. Observa a vida pulsando lá embaixo, tudo como antes, ninguém mudou a rotina por conta do problema que agora lhe sobrecarrega.

Na frente do hospital um prédio. No segundo andar uma mulher ajudando o filho a vestir o uniforme da escola. A senhora observa pela janela, suspira com nostalgia e se permite, mesmo que por breves segundos, lembrar de quando a vida era assim. Do outro lado da rua mãe e filho sairão daqui à pouco, ele para escola, ela para o trabalho, com pressa, dirigindo, acabando de se arrumar no carro, distraída, sem notar um casal de adolescentes que atravessa de mãos dadas na faixa de pedestres.

É a primeira vez que tiveram coragem para segurar a mão do outro, ele, apaixonado, não sabe o que dizer, o coração disparado, a boca seca, ela, não sabe o que sente, mas gosta do jeito tímido do rapaz, ele é bonito, parece que vale a pena. Eles caminham até a banca de jornal, ela escolhe uma revista, mostra alguma coisa na página e os dois dão risadas seguindo adiante.

O jornaleiro guarda o troco, tosse enquanto ajeita uma pilha de jornais e retorna para atrás do balcão a espera de que o movimento hoje seja bom. Ele cuida da banca, pensa no dia, ajeita a gola da camisa enquanto o próximo cliente não vem.

Para o jornaleiro aquela é a única vida que conhece. Ele não sabe sobre o homem preocupado no carro, nem a senhora inquieta pela recuperação do marido no hospital, a mãe que leva o filho para escola, o casal de adolescentes recém namorados que acaba de sair de sua banca. Ele, o jornaleiro, não tem ideia que você está lendo esse texto, nem sabe seu nome, nem conhece sua história, nem a minha, nem a de ninguém que não esteja ligado ao seu mundo, seu pequeno mundo, seu mundinho de jornaleiro.

Assim como você que não enxerga nada além do mundinho que cria, da esfera que vive, dos temas que elege e permite que ocupem sua mente o tempo todo.

Enquanto lê esse texto que está quase terminando teve a chance de pensar que há mundos se cruzando o tempo todo, que estão todos conectados de alguma maneira, que há muito mais para ver do que seus limites impõe, uma vida, várias vidas, chances de ir e vir, escolhas a fazer, universos em movimento cruzando seu caminho, seu espaço e você nem vê, enquanto lê esse texto.

Anúncios

2 comentários em “Enquanto lê esse texto

  1. Bom dia Flavio e a todos!

    Esse textos nos remete a várias reflexões, e a que veio em minha mente assim que terminei de lê-lo foi: que mistério é esse, onde várias formas de vida estão conectadas e ao mesmo tempo, cada uma no seu universo? Uns cruzam com outros, se relacionam ou não, enfim, vivemos num sistema complexo de difícil compreensão, onde pessoas nascem, morrem, algumas são lembradas e a grande maioria não, algumas deixam bons exemplos de vida, outras maus exemplos e isso nos serve como referência para tentarmos melhorar como humanos, alcançar um nível de consciência plena no amor, mas, a questão que ainda me inquieta é: Por que precisamos passar por tudo isso? E todos os seres desse universo, passa por algum tipo de sofrimento, como se fosse uma regra geral para atingir algo.

    Mas, acredito que a busca de entendimento é melhor do que ignorar tudo isso. Pois a ignorância é o pior mal da humanidade.

    Grata pelas palavras, Flavio.

    Forte abraço.

    Maria José:)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s