Vagalumes por Vagalumes

Bem vindo a página Vagalumes por Vagalumes.
A ideia aqui é muito simples, uns ajudam aos outros, como podem, como sabem, vagalumes por vagalumes.
Não é uma página de arrecadação de dinheiro, de causas específicas, mas aqui as causas são as pessoas.
Está na hora de substituirmos o mero discurso sobre “iluminação”, arregaçarmos as mangas e acendermos o interruptor.
Não acreditamos em filosofias, teorias políticas, mobilizações religiosas ou institucionais onde os discursos absolutos prevalecem às causas humanas.
O absolutismo produz rigidez de pensamento, fundamentalismo que se serve das pessoas ao invés de servi-las, justifica os meios através dos fins.
Queremos propor vínculos entre os que precisam e os que podem ajudar, para isso usaremos essa página, a web rádio vagalume, o blog do Flavio Siqueira e o youtube como mídias que reforcem as campanhas.
Se nos convém acreditar que sozinhos não somos capazes de mudar o mundo, provoco a pensar que, unido à outros, você pode ser responsável por pequenos mundos melhores. Se tua luz de vagalume iluminar o ambiente onde está, sua luz brilhará com a dos outros e tudo ficará mais iluminado. Vamos começar?
Contemos uns com os outros.
Flavio Siqueira

Fortes?

Todos querem ser fortes, certo? A questão é: para que eu me veja forte, preciso da referência do fraco. Não haveria “forte” se não fosse a existência do fraco, um precisa do outro, assim como a direita precisa da esquerda, o “bem” precisa do “mal”, a morte precisa da vida.
São polos da mesma ilha, aspectos de uma coisa só.
Pensar-se fora dos polos tem a ver com reconhecer nossa natureza.
Somos ambivalências e nenhum de nós jamais será expressão absolutas de nada, em aspecto algum.
Aceitar a relatividade como bela, nos coloca em movimento e tira o peso de acreditar que somos qualquer outra coisa que não fragmentos, humanos, gente que por alguma razão é capaz de projetar significados nas próprias experiências. O que passar disso é presunção.