Nossos ambientes interiores

Nossas emoções são como grandes casas. Há muitos cômodos, uns espaçosos, outros estreitos, alguns arejados, outros sufocantes. As varandas, inspiradoras nos dias de sol, são evitadas quando chove. Nessa casa existem cantos escuros, outros iluminados. Vivendo lá passaremos por todos os espaços, experimentaremos as muitas sensações que suscitam, mas sigamos adiante, conscientes que jamais permaneceremos para sempre em qualquer um desses cômodos. Estamos em movimento e o movimento promove amplitude.