Virgílio e Amorim

Virgílio e Amorim viraram inimigos. Um acusa o outro por estar no lado oposto. Jogam pedras mutuamente, se agridem, argumentam com vigor na tentativa de trazer o oponente para o “lado certo”. Virgílio e Amorim não imaginam que os lados são perspectivas de uma coisa só e ambos alimentam o mesmo monstro. O monstro cresce na força dessa oposição. Mas o que importa Virgílio e Amorim ?

Nos redimam de nós

Dificilmente buscamos a solução dos nossos problemas. Solucioná-los dói, implica em reconhecimento de responsabilidades, em assumirmos desconstruções que nem sempre estamos dispostos a arcar. Queremos culpados que nos aliviem e façam catarses, queremos demônios que assumam nossos lugares e nos redimam se ser quem somos.